Os melhores links cristãos do mês (Setembro/2011)

Todo mês, nós do PreciosoCristo selecionamos e indicamos alguns dos melhores textos e vídeos (ou qualquer outro conteúdo) publicados em sites cristãos. Acessem estes links, visitem estes sites e sejam edificados!

Links cristãos do mês

R.C. Sproul, A capacidade humana de escolher Deus
No iPródigo, em 02 de setembro de 2011.

“Jesus ensinou explícita e inequivocamente que nenhum homem tem a capacidade de chegar a ele sem que Deus realize alguma coisa para lhe dar essa capacidade, isto é, atraí-lo.” Nesse texto, R.C. Sproul mostra que o homem natural não pode escolher Deus pelo fato de ele não ter qualquer desejo por Cristo, necessitando da graça eficaz e da obra da regeneração para tornar-se capaz de crer.

Augustus Nicodemus Lopes, Por que não abraço a espiritualidade
No O Tempora, O Mores, em 02 de setembro de 2011.

“Acho que você conhece a distinção que Lutero fez entre a ‘teologia da glória’ e a ‘teologia da cruz’. Muito do movimento de espiritualidade moderno cai, justamente, no que Lutero chamou de ‘teologia da glória’, a tentativa de chegar a Deus de forma imediata, ou por meio de legalismo (mortificação, flagelação da carne, etc.), especulação teológica (como no liberalismo de Tillich) ou no misticismo (as escadas da ascensão da alma para o céu, com a necessária purgação, mortificação e iluminação). Note que nessas três escadas, o que se fala é da união da alma de forma imediata com Deus, sem a mediação de Cristo crucificado. Para Lutero, o fiel só encontra Deus não nas manifestações de poder que supostamente cercam as três escadas, mas em fraqueza, na cruz, pois por meio dela somos justificados.”

C.H. Spurgeon, A doutrina da eleição
No Charles Haddon Spurgeon, em 05 de setembro de 2011.

“O Senhor Jesus utiliza seus mensageiros, sua Palavra e seu Espírito Santo, a fim de compelir os homens, de maneira delicada e graciosa, para que venham e se banqueteiem na ceia de seu casamento.” Com simplicidade e profundidade, Charles Spurgeon expõe nesse breve texto como Deus nos atrai para Si mesmo e nos salva, sem, com isso, violar a vontade humana.

Albert Mohler Jr., Os evangélicos e a revolução moral gay
Na Editora Fiel (Artigos).

“Em menos de uma simples geração, o homossexualismo passou de uma coisa que era quase universalmente entendida como pecado, para outra  que está sendo declarada equivalente à moral da heterossexualidade — e merece tanto a proteção legal quanto o encorajamento público.” O teólogo batista Al Mohler convoca os cristãos evangélicos comprometidos com toda a autoridade da Bíblia a defenderem o padrão de Deus para a sexualidade humana. Ao mesmo tempo, ele nos lembra de que nós não podemos falar sobre o pecado da homossexualidade como se nós também não tivéssemos pecado.

Josaías Jr., Calvino contra o ateísmo
No AME Cristo, em 09 de setembro de 2011.

“Não há nenhuma nação tão bárbara, nenhum povo tão selvagem, no qual não esteja profundamente arraigada esta convicção: Deus existe!” A partir de citações da obra-prima de João Calvino, As Institutas da Religião Cristã, o irmão Josaías Jr. nos apresenta como o reformador de Genebra enxergava o ateísmo.

Jon Bloom, Servindo à sombra
No Não desperdice sua vida, em 09 de setembro de 2011.

“Quando Deus dá a um discípulo cinco talentos, a outro dois talentos, e a outro um talento (Mateus 25:15) ele tem suas razões. Muito provavelmente elas são diferentes do que pensamos (Isaías 55:9). Ele sabe o que está fazendo. Nós podemos confiar nele.” Numa breve análise da vida de André, irmão de Pedro, Jon Bloom nos traz uma lição preciosa sobre de que se constitui o verdadeiro discipulado.

John Piper, Seu Corpo, seu Ego, seu Deus
No Voltemos ao Evangelho, em 11 de setembro de 2011.

“O jornal Star-Tribune, da cidade de Minneapolis, na edição de 23 e outubro de 1997 (A18), trouxe uma resenha de Mary McCarty sobre o livro The Body Project, escrito por Joan Brumberg. Esse livro aborda a diferença entre a maneira como as moças viam-se a si mesmas cem anos atrás e a maneira como se viam no final do século XX. Brumberg analisa os diários de moças dos anos 1830 aos anos 1990. A sua conclusão, de acordo com a autora da resenha, foi esta: ‘No século XIX e no início do século XX, os diários das moças focalizavam-se nas ‘boas obras’ e no aprimoramento do caráter. Nos anos 1990, os seus diários se fixavam em ‘boa aparência’ e aperfeiçoamento do corpo’.”

C. Michael Patton, Quando você quer morrer por Cristo, mas Ele não deixa
No iPródigo, em 14 de setembro de 2011.

“Às vezes, ser um sacrifício vivo é apenas confiar silenciosamente no Senhor.” Num texto profundamente belo e impactante, C. Michael Patton fornece alguns conselhos práticos bastante sábios para todos aqueles que desejam servir ao Senhor com zelo, e até mesmo morrer por Ele. O que fazer se Deus parece não se mover tão rapidamente quanto nós gostaríamos, se Ele parece não nos usar da maneira que esperávamos?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s