[Livro do mês] John MacArthur – “A sós com Deus”

Áurea Emanoela

Livro do Mês - A sós com Deus

Em A sós com Deus: O poder e a paixão pela oração, o pastor John MacArthur nos faz mergulhar no fantástico “exercício espiritual” da oração, apresentando-a como algo tão natural, dentro da família de Deus, quanto o próprio respirar:

Para os cristãos, orar é como respirar. Você não tem de pensar em respirar porque a atmosfera exerce pressão sobre os seus pulmões e o força a fazer isso. É por isso que é mais difícil prender a respiração do que respirar. (p. 13)

Nos onze capítulos que compõem o livro, divididos em três partes, MacArthur nos apresenta a oração como essencial à comunhão do crente com Deus, sendo de tal modo importante, que “o inimigo tenta constantemente disseminar enganos sobre o nosso entendimento da oração e sobre o nosso compromisso em orar” (p. 8).

Totalmente centrado na glória de Deus, o autor nos adverte acerca das percepções errôneas ou confusas sobre a oração, mostrando que ela é muito mais do que um ritual, ou uma maneira de fazer exigências e reivindicações a Deus. Fazendo uso das palavras de Martin Lloyd-Jones: “a oração é sem sombra de dúvida a mais elevada atividade da alma humana” (p. 7), e acrescenta: “por ser a mais elevada atividade da alma humana, a oração é ao mesmo tempo o teste definitivo da real condição espiritual do homem” (p. 8).

Na primeira parte do livro (formada pelos dois primeiro capítulos), John MacArthur faz um exame esclarecedor a respeito da atitude que cada crente deveria ter em relação à comunicação com Deus. “Todos os cristãos devem ter necessariamente seus corações focados em Deus de modo que a comunhão com Ele seja uma atividade diária e natural de suas vidas” (p. 09). No primeiro capítulo, “Um coração firmado em Deus”, somos instados a compreender a necessidade vital de “orarmos sem cessar”.

Penso em orar sem cessar como viver na contínua consciência da presença de Deus, quando tudo que vemos e experimentamos se converte em uma espécie de oração, vivida em profunda consciência e rendição ao nosso Pai Celestial. (p. 17)

No segundo capítulo, “Buscando a Deus em secreto”, o pastor MacArthur nos adverte quanto à necessidade de nos guardarmos para que não venhamos a orar com a atitude errada, a exemplo do que acontecia com os fariseus, que faziam da oração um meio para exibir sua falsa espiritualidade “ao invés de vê-la como uma humilde oportunidade de glorificar a Deus” (p. 10). Os fariseus oravam para serem vistos, deturpando o propósito maior da oração que é glorificar a Deus! MacArthur nos alerta quanto ao perigo de tornarmos a oração um hábito ou de exercê-la sem paixão e, fazendo uso da brilhante percepção do pastor puritano John Preston, pontua: “se for desempenhada de maneira formal ou costumeira e excessiva, é melhor omiti-la totalmente, pois o Senhor recebe as nossas orações não por seu número, mas por seu peso” (p. 29).

Na segunda pare do livro (em que estão os capítulos 3 a 9), MacArthur nos traz o padrão de Jesus para a oração dado no “Pai nosso” (Mateus 6.9-15), “como uma forma de corrigir a corrompida perspectiva sobre a oração que os discípulos haviam recebido daqueles líderes religiosos hipócritas [os fariseus]” (p. 10). O autor acrescenta que o modelo de oração ensinado por Jesus “ofereceu um padrão que dava uma visão abrangente de todos os elementos essenciais de uma oração correta, estando todos eles centralizados em Deus” (p. 10). Essa parte do livro aborda cada frase da oração ensinada por Cristo, e nos leva a descobrir que “Jesus focaliza nossa atenção em Deus – na sua adoração, dignidade e glória” (p. 10).

Por fim, na terceira e última parte do livro (dividida em dois capítulos), MacArthur nos leva a examinar os motivos específicos pelos quais todos os crentes deveriam orar. “Se estivermos orando realmente pelas coisas certas, focalizaremos os nossos pedidos de oração naquilo que diz respeito ao Reino de Deus e ao nosso próprio crescimento espiritual” (p. 193). Essa derradeira parte funciona como uma espécie de manual prático, no qual somos instados a aplicar o que aprendemos ao longo da leitura, em orações cujo proposito único é “simplesmente falar com Deus como você faria com um amigo querido, sem qualquer fingimento ou petulância” (p. 8).

Ao longo das duzentas páginas que constituem esse maravilhoso livro, o leitor é levado a redescobrir “o poder e a paixão que o tempo gasto com Deus pode trazer” (p. 10).

E você, já conversou com Deus hoje?

________________________

Informações do livro

Título: A sós com Deus: O poder e a paixão pela oração
Autor: John MacArthur Jr.
Editora: Palavra
Edição:
Ano: 2009
Número de páginas: 200

Por: Áurea Emanoela Holanda Lemos | PreciosoCristo | Original aqui.
Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que inclua estes créditos, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s